Sketchbooks como espaço de exploração e descoberta

Por: Gabi Vasconcelos - 17/07/2020
Coluna

 

Olá! Meu nome é Gabriela Vasconcelos, trabalho profissionalmente com ilustração desde 2015 e atualmente estou em um estúdio de animação, fazendo cenário e personagens para séries animadas. Hoje eu vim falar um pouco de um dos meus aliados favoritos nessa jornada artística. Quem me conhece sabe o quanto adoro sketchbooks! Eles me acompanham há tanto tempo que são verdadeiros diários de desenvolvimento do meu estilo. É sempre incrível folhear o sketchbook de alguém e entender melhor a essência do artista. Está tudo ali! Referências, inspirações, ideias, até a maneira que ele escolhe organizar as ilustrações nas páginas e fazer anotações dizem muito. Por isso escolhi falar um pouco sobre as vantagens de criar o hábito de tê-los e levá-los para todos os lugares.

 

Mesmo que eu rabiscasse em folhas soltas e em cantos de cadernos escolares, lembro que foi só com 11 anos que tive meu primeiro caderno de desenho. Era um companheiro inseparável, tinha desenhos de coisas que eu via, lugares que eu visitava, personagens que eu gostava, dezenas de desenhos de animais (já que jurava que seria veterinária desde os 5). Na época, desenhar naquele caderno não trazia nenhuma obrigação, era algo simples e divertido. Acredito que isso tenha permanecido muito comigo. Atualmente meu trabalho profissional é completamente voltado para a ilustração digital, sketchbooks e técnicas tradicionais acabaram tornando-se espaços de exploração e liberdade, onde não existe nenhuma pressão ou grandes pretensões no que estou desenhando. Descobrir um espaço/ técnica de conforto é ótimo para vencer momentos de bloqueio criativo e, por vezes, traz resultados positivos surpreendentes.

 

É claro que cada um desenvolve seu próprio método de como usar seu sketchbook. Você pode ser o tipo de pessoa que usa esses cadernos apenas para fazer estudos e organizar tudo perfeitamente. Ou ser a pessoa que cada página é aleatória, onde rostos e a lista de compras do mês dividem o mesmo espaço. Não existem regras, contanto que ele esteja sendo útil para você! Dito isso, acho importante dividir alguns dos hábitos que desenvolvi ao longo desses anos e acredito que fizeram diferença no meu desenvolvimento.

 

Ter um caderno por perto - nunca sabemos quando uma inspiração ou nova referência vai aparecer. Muitas vezes acontece em uma viagem ou no meio do caminho para o trabalho. Anote tudo! Qualquer ideia, qualquer rabisco, por mais bobo que pareça, talvez ele possa te inspirar ou virar um projeto. E quando digo para ter um caderno, é claro que você poderia anotar no celular por exemplo, mas pelo menos para mim, ter um espaço onde eu consiga escrever, desenhar e jogar tudo que possa ser relacionado a um novo projeto é muito mais efetivo do que tentar organizar meus pensamentos só com palavras.

 

Estudos de referências - algo que faço constantemente são estudos baseados em ilustradores que tem estilos que gosto, com isso consigo incorporar elementos e analisar o que me chama atenção no trabalho de cada um deles (lembrando que referenciar e ter o trabalho de outros artistas como inspiração faz parte da rotina de qualquer ilustrador, já comercializar ou não dar os devidos créditos em uma arte baseada na obra de outro artista é plágio).

 

Desenhar sem borracha / direto com a caneta - eu sei, a princípio não me parece uma boa ideia, mas não ter a opção de desfazer um traço te obriga a pensar no essencial antes mesmo de dar o primeiro risco no papel. O que desenvolve uma característica fundamental na hora de ilustrar: a observação.

 

Fazer thumbnails / estudos de simplificação de forma - thumbnails são representações simplificadas e em menor escala da ilustração final. São o melhor jeito de testar composições e perceber se as formas e contrastes irão funcionar ou não. É muito mais rápido e eficiente do que fazer uma ilustração no tamanho final e descobrir no meio do caminho que ela não está funcionando tão bem quanto você acreditava.

 

Testar novos materiais - não saber como um material se comporta e descobrir suas vantagens e desvantagens pode ser frustrante e divertido ao mesmo tempo! Uma nova ferramenta te obriga a pensar de modo diferente, o que pode te surpreender. Não tenha medo de testar, quem sabe você encontra o material perfeito para você?

 

Revisitar seus desenhos antigos - guardar esses cadernos é como guardar toda a sua trajetória e poder revisitar é um ótimo exercício para ver o que mudou ou analisar o que você quer que mude. Você pode até se surpreender e se inspirar com rascunhos e ideias do passado. Ou simplesmente perceber o quanto você evoluiu e ganhar um ânimo extra na hora de desenhar!

 

Por fim, mostro para vocês alguns dos meus sketchbooks e alguns rascunhos, de 2014, 2017 e 2019. Espero que essas dicas possam te ajudar e te divertir no meio do processo de estudo! Se quiser conhecer mais do meu trabalho, deixo aqui meu instagram: @gabivasko

 

https://inspirarte.art.br/Content/assets/images/coluna/Coluna-Gabriela-Vasconcelos/1.jpg
https://inspirarte.art.br/Content/assets/images/coluna/Coluna-Gabriela-Vasconcelos/2.jpg
https://inspirarte.art.br/Content/assets/images/coluna/Coluna-Gabriela-Vasconcelos/3.jpg
https://inspirarte.art.br/Content/assets/images/coluna/Coluna-Gabriela-Vasconcelos/4.jpg
https://inspirarte.art.br/Content/assets/images/coluna/Coluna-Gabriela-Vasconcelos/5.jpg
https://inspirarte.art.br/Content/assets/images/coluna/Coluna-Gabriela-Vasconcelos/6.jpg

 

Acesse também meu perfil no Inspirarte:

https://inspirarte.art.br/artista/gabivasko/perfil

 

Olá! Meu nome é Gabriela Vasconcelos, trabalho profissionalmente com ilustração desde 2015 e atualmente estou em um estúdio de animação, fazendo cenário e personagens para séries animadas. Hoje eu vim falar um pouco de um dos meus aliados favoritos nessa jornada artística. Quem me conhece sabe o quanto adoro sketchbooks! Eles me acompanham há tanto tempo que são verdadeiros diários de desenvolvimento do meu estilo. É sempre incrível folhear o sketchbook de alguém e entender melhor a essência do artista. Está tudo ali! Referências, inspirações, ideias, até a maneira que ele escolhe organizar as ilustrações nas páginas e fazer anotações dizem muito. Por isso escolhi falar um pouco sobre as vantagens de criar o hábito de tê-los e levá-los para todos os lugares.



Comentários:

Para comentar você precisa estar logado.

Bruno Medeiros 20/07/2020 14:30:17

Excelente matéria! Adoro sketchbooks e ver folhas em branco me dá vontade de colocar uma idéia pra fora, por qualquer que seja. Pode ser útil algum dia! haha Mas ultimamente com os trabalhos e correrias da vida, tenho mais utilizado para os inktober nesses tempos. Os sketches ficaram mais pra pré-concepts no photoshop, mas vou me esforçar mais pra voltar a rabiscar nos sketchbooks, pois é bem libertador vc poder rabiscar e testar estilos, materiais, como vc falou :) Obrigado pela inspiração! :D