Moda: Como encontrar o seu estilo?

Por: Alef Vernon - 08/10/2018

Já recebi muitas perguntas relacionadas a como eu encontrei meu estilo de desenho... E muitas vezes, nem eu mesmo fui capaz de dar uma resposta clara a essa pergunta, e as vezes, ocasionando até um questionamento: Mas eu tenho mesmo um estilo? Estou satisfeito com meu traço?

Encontrar uma identidade artística, um traço, é um dos maiores desafios para quem produz conteúdo relacionado à ilustração, e estar satisfeito com essa identidade é algo ainda mais desafiador. A Sensibilidade natural que nós artistas temos, já nos fazem triplicar nossos questionamentos sobre aspectos pessoais e profissionais, então muitas vezes, forçamos a criação de muitas coisas, e é aí que cometemos um erro, pois quando se trata de arte, quanto mais natural e verdadeira for a forma como desenhamos, mais fluído será o traço, e consequentemente, ele será mais seu, mais particular. Mas até chegarmos nesse nível de controle, passamos por muitos conflitos internos até estarmos num estado de satisfação e aceitar o nosso próprio estilo, e é preciso ainda mais controle para aceitar que um traço é algo mutável, que demanda tempo, técnica e paciência para atingirmos um patamar de realização pessoal com o mesmo.

Desde criança, sempre acompanhei o universo da Disney e colecionava gibis da Turma da Mônica, então ao ilustrar, eu tinha uma tendência a fazer algo semelhante a estes universos pois eram as coisas que mais me inspiravam na época, passando um tempo eu comecei a notar que quando eu criava, sempre tentava incluir coisas que eu gostava na hora de desenhar. Como se eu juntasse vários pedaços de pano para criar uma boneca. E é nesse ponto que pode estar nascendo um estilo... quando começamos a fazer uma mistura de coisas que amamos e colocamos no papel, aquilo vai ficando cada vez mais unificado com o tempo e se transformando em algo mais nosso.

Imagem Arte
Imagem Arte

Acima tem alguns exemplos de ilustrações que fiz quando eu comecei a divulgar meus desenhos online, e é perceptível alguma semelhança com os traços da Disney, mas depois de um tempo, melhorando as técnicas, eu já conseguia usá-lo como inspiração, mas havia muito de mim nas produções também. É aqui que encontramos outro ponto importante nesse caminho de encontro a um estilo: a Técnica. Ao falar de ilustrações, muitas pessoas associam isso a um dom, a algo que já nascemos como, mas embora algumas pessoas tenham mais afinidade com desenho, é preciso treinar, e desenhar bastante para melhorar diversos aspectos nos seus desenhos, claro que isso é algo muito pessoal, mas todo mundo melhora quando a prática é mais frequente.

Passando um tempo, continue a fazer uma mistura de coisas que me inspiravam no momento e continuava emprestando muito da identidade de coisas que eu já admirava, e aí eu comecei a repensar algumas coisas.

Imagem Arte
Imagem Arte


Imagem Arte
Imagem Arte


Nos exemplos acima pode se observar claramente a minha inspiração na arte do Tim Burton, e embora há diferenças, ainda é mais associado ao Tim Burton do que a mim, então eu comecei a repensar e cresceu em mim a vontade de produzir algo que realmente me identificasse, e que não tivesse que remeter diretamente a algo como Disney ou Tim Burton. E então eu dei uma chance ao meu coração e comecei a desenhar de forma mais livre.

Embora, inconscientemente, nós sempre comparemos nosso estilo com os de outros artistas e muitas vezes não achamos o nosso traço ‘bom o suficiente’, o segredo está justamente na diferença que cada estilo tem, na peculiaridade de como cada um colore, na irregularidade de cada traço e na forma única que cada pessoa tem de pôr seus sentimentos num papel. Depois de muita reflexão e bads, hoje consigo entender que o que importa é usar o coração para desenhar, deixar os sentimentos agirem, e de alguma forma coloca-los no papel. Foi então que resolvi dar uma chance ao desenho livre de fato, e desenhar sem olhar nada, sem assistir um filme, ou sem analisar os traços de alguém.

Imagem Arte
Imagem Arte
Imagem Arte
Imagem Arte

Ao começar a desenhar de forma mais livre e sem se prender a comparações injustas com nós mesmos, começamos a ver que algo mais particular nasce, algo com realmente com a nossa identidade surge. Então mesmo que ter ou encontrar um estilo pareça fácil, é algo que demanda tempo, treino, inspiração e paciência. É difícil parar de se comparar com algo ou alguém que você considere maior ou melhor, mas nesse mundo, a magia está nas coisas diferentes que temos para admirar. Embora a pergunta do título pareça ter um passo-passo para encontrar uma resposta, não existe uma receita para ter um estilo... Cada um tem seu tempo, e cada um tem sua forma de criar: lápis de cor, pincel, caneta, carvão, independente de qual seja a ferramenta, o segredo para ter um estilo está em desenhar com o coração e fazer tudo com amor, para que quem veja o resultado do desenho, consiga ver o sentimento do artista ali, e consequentemente a sua arte vai ganhar uma identidade única e sua.

Embora, inconscientemente, nós sempre comparemos nosso estilo com os de outros artistas e muitas vezes não achamos o nosso traço ‘bom o suficiente’, o segredo está justamente na diferença que cada estilo tem, na peculiaridade de como cada um colore, na irregularidade de cada traço e na forma única que cada pessoa tem de pôr seus sentimentos num papel. Depois de muita reflexão e bads, hoje consigo entender que o que importa é usar o coração para desenhar, deixar os sentimentos agirem, e de alguma forma coloca-los no papel. Foi então que resolvi dar uma chance ao desenho livre de fato, e desenhar sem olhar nada, sem assistir um filme, ou sem analisar os traços de alguém.


A seguir, deixo alguns vídeos que falam sobre estilos próprios para abrir os olhos e o coração



Vídeos inspiradores




Um papo sobre como encontrar um estilo, por Vitor Martins


Um ótimo treino pra quem quer treinar um desenho mais livre inspirado em coisas divertidas


Algumas técnicas legais misturando aquarela e lápis de cor


E pra encerrar, um speed painting de uma ilustração minha

Alef Vernon é graduado em Design pela Universidade Federal do Amazonas. Apaixonado por ilustração e fotografia, atua na área de design gráfico e social media. Foi vencedor do concurso RED BULL DOODLE ART 2017 e representante do Brasil na edição final do Concurso, em São Francisco - Califórnia / USA.



Comentários:

Para comentar você precisa estar logado.

Ivonete Maciel 08/10/2018 16:10:23

Adorei seu trabalho, pensar na perspectiva de ter um estilo me deixa bem apreensiva, Ainda não encontrei o meu, mas gosto do que desenho. Um grande abraço.