Como encontrar seu estilo pessoal

Por: Isadora Zeferino - 27/08/2018


Para deixar isso um pouco mais fácil de entender, é importante explicar o que seria um “estilo artístico” e por que existem tantas pessoas procurando por um. Em resumo, o estilo é um grupo de escolhas visuais/conceituais que fazem uma peça de arte ser reconhecível. É esse conjunto de decisões que tornam possível entender rapidamente se estamos olhando para uma obra da Tarsila do Amaral ou da Frida Kahlo, se o que está passando na TV é um episódio de anime ou desenho que faz parte da programação infantil, ou mesmo olhar para um quadro com pinceladas semelhantes à Noite Estrelada e imediatamente pensar em Van Gogh.

Imagem Arte

A diferenciação está muito ligada a esse “estilo”, basta interpretar como sendo algo que vem da capacidade de abstrair as construções e ideias fixas que entendemos de pessoas, objetos e etc. Na caricatura, por exemplo, a interpretação que os artistas escolhem para características do modelo é muito mais importante do que acertar com precisão a proporção ou detalhes do rosto.

Mas como perceber em que momento suas escolhas tornam o seu trabalho reconhecível? Na jornada do artista, é muito difícil que se opere sem guias, que são o que chamamos de referências. Essas são as pessoas que criaram as histórias que nos inspiraram, compuseram as nossas músicas favoritas e incluem todas as personalidades/personagens da nossa formação. Tornaram-se parte tão importante da nossa vida a ponto de fazerem parte do que nós somos.

Imagem Arte
Imagem Arte

De certa maneira, artistas colocam no papel a forma como enxergam o mundo e, ainda sendo especiais em nossas particularidades, raramente conseguiremos criar uma proposta completamente única. Ainda assim, sendo o nosso estilo uma mistura de todas as nossas inspirações, me parece muito certo de que o artista tem sempre o potencial de chegar em soluções interessantes e inesperadas.

Agora, como fazer isso conscientemente? Isso já é um pouco mais complicado, uma vez que não há uma resposta que não inclua suor e prática! O “nosso” estilo, como eu já comentei, é um Frankenstein de tudo o que a gente é e de todas as coisas das quais a gente gosta. Logo, pra entender melhor como nós vamos nos expressar, precisamos testar um bando de coisa, consumir vários tipos de conteúdos e formas de arte, descobrir os materiais que nos deixam mais confortáveis e não ter medo de traços ou linhas erradas, porque esses são os que mais nos ensinam.

Imagem Arte
Imagem Arte



Abrindo a possibilidade desse caminho ser comparado com a própria ideia de crescer, eu espero que seja implícito que não só leva tempo, mas que também não existe uma linha de chegada com pessoas aplaudindo no fim. Pode sair meio brega, mas para descobrir seu estilo pessoal, no fim das contas vai ser necessário todo um processo de se descobrir… E cabe a você decidir se isso vai ser aterrorizante, divertido ou um pouquinho dos dois.

Aqui, deixo algumas referências importantes para abrir os horizontes sobre o assunto:

Vídeos inspiradores




A artista Sam Skinner se desenha em 50 estilos de cartoon diferentes. É interessante prestar atenção nas particularidades de cada estilo. Por que ela consegue fazer ser reconhecível? Tamanho do olho? Do corpo? Proporção?


A artista Mei Yu se desenha em 10 estilos diferentes.


Olhar pra trás e entender a vida dos nossos artistas preferidos é algo que ajuda a colocar contexto nos seus trabalhos. Fatores como o momento político, lugar onde cresceram e outras curiosidades podem te ajudar a compreender o estilo que eles desenvolveram.


Um vídeo superinteressante com Vitor Martins sobre esse assunto do que é um estilo pessoal.

Isadora Zeferino adiciona a seu talento inspirações de grandes artistas e dá o seu tom de personalidade em cada traço. Une diferentes cores e técnicas para tornar sua arte única e traz como dica que estilo é questão de tempo e muito estudo.



Comentários:

Para comentar você precisa estar logado.

yanna Amorim 31/08/2018 23:20:32

conheci seu trabalho, por uma live da faber ano passado 2017....eu estava numa fase saido de pinturas em telas.. para focar em cartoon.. e ilustrações q eu conseguisse obter meu ..proprio estilo.. tudo o q vc escreveu concordo plenamente. o leque , que se forma atraves de tantas referencias artisticas. Amo seu trabalho, e saiba q vc e mais dois artistas, q vi em lives da faber..me fizeram despertar e ate mesmo me estimularam a voltar com a arte. obrigado e muita inspiração pra ti.

Bruno Medeiros 28/08/2018 13:14:53

Excelente artigo! Até hoje não consegui encontrar o meu traço / estilo, mas acredito ser entre mangá e hqs. E me sinto mais confortável em saber que o estilo vem com o tempo. Gosto de experimentar vários tipos de visuais. Tem uns que me identifico mais, outros menos. É engraçado que sempre quando me vem uma idéia em mente, não procuro fazer ela no traço que eu deveria fazer, mas sim no estilo que ela me vem no pensamento e aí vou buscando referências e experimentando. Já me falaram várias vezes que não tenho estilo próprio e que deveria buscar isso, mas por outro lado já falaram que sou camaleão e consigo variar os estilos, e que isso não é ruim. Mas sempre me preocupei em encontrar o meu estilo, que curto mais o processo de fazer. Porém agora sei que isso vem com a prática e com o tempo. Muito obrigado! :D

Xandhy Freitas 27/08/2018 20:15:01

Obrigado pelas palavras, sempre me cobrei muito por gostar de fazer contornos nos desenhos e pinturas. Lendo seu artigo percebi que não esta erado é meu estilo de pintar, minha particularidade. Obrigado.